Inspeção do TCDF revela que pontes e viadutos vistoriados em 2011 continuam com defeitos graves


Quase um ano após a queda do viaduto sobre a Galeria dos Estados, construções semelhantes continuam oferecendo riscos à população e necessitam de reparos urgentes. A constatação foi feita pelos auditores do Tribunal de Contas do Distrito Federal que foram a campo novamente para avaliar o atual estado de conservação desses bens públicos.

Na auditoria realizada pela Corte em 2011, três pontes e oito viadutos foram apontados como em situação grave. Em 2018, o corpo técnico do Tribunal constatou que apenas três deles passaram por manutenção recente. Na inspeção realizada pelo Núcleo de Fiscalização de Obras e Serviços de Engenharia do TCDF, estão as Pontes do Bragueto, Costa e Silva, das Garças; e os viadutos da N2, da DF 002 e dos Eixos W e L. Em quase todos locais visitados, permanece a necessidade de intervenções imediatas.

Os principais problemas identificados na fiscalização do TCDF foram oxidação da estrutura; armadura exposta; buracos; fissuras; trincas e desgastes. Também foi apontada a desagregação de concreto nos pilares, nas vigas, nas lajes e nas fundações. Durante a visita, os auditores verificaram ainda marcas de infiltração; deformação da infraestrutura; ondulações e desníveis no pavimento; abertura nas juntas de dilatação; descolamento de placas e ausência de fixação dos guarda-corpos. Nas calçadas, foi identificada ausência das tampas de bueiros e equipamentos mal instalados.

“O TCDF tem realizado inspeções periódicas para atualizar e detalhar o estado das pontes e viadutos do Distrito Federal. O objetivo principal dessa fiscalização é munir os gestores de informações que possam subsidiar uma política efetiva e constante de manutenção corretiva e também preventiva”, ressalta a presidente da Corte, Conselheira Anilcéia Machado. Para ela, uma omissão na conservação desses bens públicos pode acarretar prejuízos enormes. “Portanto, investir em obras de recuperação é uma forma de garantir não só a economia de recursos públicos, mas a segurança dos cidadãos”, completou.

O Tribunal de Contas do DF abriu procedimento específico para monitorar a implementação, pelo Governo do Distrito Federal, das medidas necessárias para sanar os problemas identificados na referida inspeção.

O GDF apresentou à Corte um plano de conservação e manutenção a ser adotado pelo DER/DF e pela Novacap. A documentação encaminhada pelo GDF está em análise pelo corpo técnico da Corte, que avalia a adequação técnica desse plano.

Situação de Pontes e Viadutos

Ponte do Bragueto
Em 2011- Necessitava de reparos/manutenção urgente.
Em 2018 – Não apresentava sinais de manutenção recente. O local apresentava defeitos graves. Conclusão: Permanece a necessidade de intervenções imediatas.

Ponte Costa e Silva
Em 2011 – Necessitava de reparos/manutenção
Em 2018 – Não apresentava sinais de manutenção recente. O local apresentava defeitos graves. Conclusão: Permanece a necessidade de intervenções imediatas.

Ponte das Garças
Em 2011 – Necessitava de reparos/manutenção
Em 2018- Foram encontrados sinais de manutenção em uma das pistas de rolamento e havia uma equipe no local realizando a manutenção na estrutura de metal do guarda-corpo. No entanto, o local ainda apresentava defeitos graves. Conclusão: Permanece a necessidade de intervenções imediatas.

Viaduto do Eixo W sobre a N2
Em 2011- Necessitava de reparos/manutenção urgente
Em 2018 – Não apresentava sinais de manutenção recente. O local apresentava defeitos graves. Conclusão: Permanece a necessidade de intervenções imediatas.

Viaduto do Eixo L na altura da 215/216 Norte
Em 2011 – Necessitava de reparos/manutenção
Em 2018 – Não apresentava sinais de manutenção recente. O local apresentava defeitos graves. Conclusão: Permanece a necessidade de intervenções imediatas.

Viaduto do Eixo W na altura da 115/116 Norte
Em 2011- Necessitava de reparos/manutenção
Em 2018 – Não apresentava sinais de manutenção recente. O local apresentava defeitos graves. Conclusão: Permanece a necessidade de intervenções imediatas.

Viaduto DF 002 – Galeria do Estados
Em 2011- Necessitava de reparos/manutenção urgente
Em 2018 – O viaduto está apenas cimbrado devido ao desabamento. O Decreto n.º 38.841/2018 constituiu grupo de trabalho para analisar e propor soluções para a reconstrução devido ao desabamento desse viaduto. Conclusão: Não se aplica.

Viaduto DF 002 sobre a via S2
Em 2011 – Necessitava de reparos/manutenção urgente
Em 2018 – Apresentava sinais de manutenção recente. Conclusão: O local não apresentava defeitos relevantes.

Viaduto sobre DF 002 na saída Buraco do Tatu
Em 2011 –  Necessitava de reparos/manutenção
Em 2018 – Apresentava sinais de manutenção recente. Conclusão: O local não apresentava defeitos relevantes.

Viaduto do Eixo L na altura da 203/204 Sul
Em 2011 – Necessitava de reparos/manutenção urgente
Em 2018 – Não apresentava sinais de manutenção recente. O local apresentava defeitos graves. Conclusão: Permanece a necessidade de intervenções imediatas.

Viaduto do Eixo L  na altura da 215/216 Sul
Em 2011 – Necessitava de reparos/manutenção urgente
Em 2018 – Não apresentava sinais de manutenção recente. O local apresentava defeitos graves. Conclusão: Permanece a necessidade de intervenções imediatas.

Anterior Defesa de João de Deus recorrerá ao STJ para tentar prisão domiciliar
Próxima Bolsonaro elogia Toffoli por revogar soltura de presos em 2ª instância

Não há comentários ainda

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *